05 julho 2011

Conheça o Guia da Baixa Gastronomia Curitibana ou mapa do pé-sujo


Os curitibanos Guilherme Caldas e Rafael Martins criaram um guia diferente de gastronomia. Longe do glamour e do requinte costumeiro da culinária curitiboca, eles desenvolveram o Guia da Baixa Gastronomia Curitibana, livremente inspirado no Guia da Culinária Ogra, do André Barcinski. Só pelos requisitos para fazer parte do guia, já dá para ter noção do que estamos falando. Confira:


1. Não pode ter nome com “Chez” ou “Bistrô”
2. A comida precisa ocupar ao menos 85% da área total do prato
3. Não pode ter “chef”, e sim “cozinheiro”
4. Não pode ter “menu”, e sim “cardápio”
5. Algumas palavras proibidas nos cardápios: “nouvelle”, “brûlée”, “pupunha”, “espuma”, “lâmina”, “lascas” e “contemporânea”
6. Não pode ter filiais
7. Os garçons não podem ser modelos, manequins ou atores, com preferência para garçons velhos e feios
8. Os garçons precisam passar no teste da colherzinha, que consiste em servir arroz com uma só mão, juntando duas colheres, sem derramar um grão sequer
9. Não pode estar localizado no Batel
10. Teste final: se o garçom, ao ser perguntando “o que é ‘El Bulli’?”, responder qualquer coisa que não seja “é onde eu sirvo o café”, o restaurante está eliminado.

Para conhecer o guia, clique aqui.

Um comentário:

Anônimo disse...

Djalma é muito firmeza. Melhor que x-montanha ultimamente até. lema do djalma devia ser bom, rápido e barato. pediu levou o x-salada